Venha cá .

Venha cá Inspiração.
Toma meu corpo
me impõe seu gesto,
não liga ao meu protesto.
Essa mulher não sou eu mas a contenho,
nos pequenos ódios que possuo
no heroísmo que não tenho ,
na loucura em que me incluo,
na tolerância que se perdeu.
Esta mulher não sou eu?

Venha cá Inspiração,
De mim não se farte, me baste.
Como poeta ou como atriz
venha, me reconstrua. .
Faz-me múltipla e nenhuma.

Não me abandone a Inspiração,
Nós vamos morrer ,
Nossa obra , não.

Delurdes Moraes


Voltar ao menu de poemas

Voltar à página inicial