Soneto do Ciúme


Texto e Locução : Delurdes Moraes

Amo-te louca e sinceramente !
Em nosso ninho , paz !
Vivas ao dia que felizmente
muita alegria nos trás !

Mal a tardinha chega deserta
da sensatez dos normais ,
nos atormenta a dor que desperta
o ciúme , com vírus mortais.

Quem disse que somos sábios
se ferindo como balas ,
tremendo nossos lábios

Insultados, negam o perdão,
bradam árduas falas
e tornam impossível a reconciliação?

 

Direitos autorais registrados®

Voltar à página inicial

Voltar ao menu "Meus Poemas/áudio"