Do que Prefiro

Texto e Locução/Delurdes Moraes
 

Enquanto a noite não chega
e a tarde não se vai,
vou compondo serenatas
com palavras exatas
de inúmeros mortais.
Assim vou descendo ladeiras
e jogando meus sais.

É certo que o dia é inteiro
mas quem precisa de tudo saber?
Se o tonto ficou quieto
e o sábio ficou mudo,
qual minha razão neste mundo?

Tem tempo que as horas não passam,
os minutos ficaram amassados
e de dentro se foi o passado.
Agora, ando igual fumaça,
estou embaçada,
a luz se aquietou
e eu que não vim, vou.

Dentro de mim traçada
há uma rua só de chegada.
Por ela , caminho sem deixar rastros,
sigo porém seus conselhos :

Quem tem ouvidos ,ouça.
Quem tem memória, espere.
Ainda é Primavera e
a “ Lua de Prata ”
ainda não serenou..

Aceitando o convite ,
fiz da via , sala de espera,
da lua , abajur,
e do medo , glamour,
então senti- me segura.

“Então era ela , a Primavera? A pura ? “

Pois eu ,
prefiro o Verão ....
cores claras ou escuras
sempre “ fazendo parte da “ estação ”.


Delurdes Moraes

 

Direitos autorais registrados®

Voltar à página inicial

Voltar ao Menu "Meus poemas/áudio"