Vigília Inutil
Texto e Locução: Delurdes Moraes
 

Madrugadas
tardes e tardes
ébrias ,covardes.

À beira da cama
no abandono
velando o sono ...
silêncio,tortura,
cabeça insana.

O tempo a passar
ouvindo música,
por serem tão belas,
algumas daquelas
ouvia até chorar !
e o tempo a passar.
Velando o sono
silêncio,tortura
Ele está lá,
vá buscar,vá.
Cabeça insana.
Crueldade?
Talvez
vergonha
embriagues.

Criança adulta
Sóbria,deserta.
O cálice falou,
calou o poeta .
Cega,
surda
sovina,
só , uma menina !

Tardes e tardes
e madrugadas
obras de arte , abortadas.
Hoje entendo tudo
mas agora é muito tarde,
estás definitivamente, mudo.

Delurdes Moraes

 
Trilha Sonora Fernanda Bock

Direitos autorais registrados®

Voltar à página inicial

Voltar ao menu Poemas/Áudio